Cartografia Presente - Um GeoServer para acesso aos dados na SPU

Atualizado: Fev 5

Introdução


GeoServiços, Geoserver, PostGis, GeoTools, WebGIS, QGis são muitos os nomes que aparecem quando o assunto é disseminação de dados geoespaciais. Uma poderosa combinação dessas tecnologias e ferramentas possibilita ao usuário o compartilhamento e armazenamento dos dados de maneira rápida, segura e com amplo alcance.

Como colaboradora em um grande projeto junto à SPU, o Gupo Zago busca tirar proveito disto tudo para atender aos anseios do nosso cliente, que é um dos produtores cartográficos pioneiros em nosso país.

Nessa jornada, buscamos entender quais são suas necessidades e traçamos estratégias para atendê-las em um curto, médio e longo prazo. Desta maneira tornamos possível a quebra das tarefas em partes menores viabilizando ao cliente acompanhar o andamento de seu pedido passo a passo.

A exemplo desta metodologia destacamos a atividade de criação de um GeoServer para atender a um pedido muito específico de parte dos Servidores da SPU. Esta foi uma prova de conceito para algo muito maior: a publicação web total dos dados geoespaciais do cliente de acordo com a ET-EDGV (Especificações Técnicas para Estruturação de Dados Geoespaciais Vetoriais) do Patrimônio Imobiliário Público Federal, que também estamos ajudando a desenvolver!


O Cliente


Secretaria do Patrimônio da União - SPU, Ministério da Economia. Governo Federal.


O Desafio


Nosso cliente precisava de uma solução simples e viável para atender as solicitações submetidas pelos Servidores alocados em uma de suas Unidades Regionais de Geoinformação (URGeo), extensões da SPU no âmbito do Programa de Modernização de Gestão do Patrimônio Imobiliário da União.

O anseio dessa URGeo era a construção de um ambiente em rede onde fosse possível distribuir e consultar de forma fácil os dados espaciais dos produtos cartográficos que o Grupo Zago produzia semana após semana.

A necessidade surgiu do aumento das demandas de requisições de acesso aos dados que as vezes eram feitas de inúmeras formas possíveis, o que não contribuía para a celeridade e assertividade no atendimento aos pedidos.

O desafio então era construir um ambiente onde fosse possível atender as exigências do cliente dando a ele o poder de consultar estas informações quando e de onde desejarem, daí surgiu a ideia de um GeoServer para tornar tudo isso real.


A Solução


Neste desafio o Grupo Zago se propôs a estruturar os dados de interesse da URGeo do Estado do Rio de Janeiro em ambiente de Banco de Dados alocado nas próprias dependências do cliente. Todo acesso foi executado via VPN e se deu de forma bem rápida.

No geral os dados armazenados foram obtidos por meio de fluxos ETL, também desenvolvido pelo Grupo Zago. Cada camada a ser publicada no GeoServer da CGCIG-SPU contou com um estilo próprio de layers escrito em SLD (Styled Language Descriptor) e criado justamente para atender aos padrões do cliente.

Por fim, os modelos de consumo dos dados foram apresentados ao cliente, o qual decidiu por habilitar ambos serviços, WMS (Web Map Service) e WFS (Web Feature Service).


UAU Zago


Em pouco tempo, o Grupo Zago pode dar a URGeo-RJ o acesso aos principais dados geoespaciais através de um geoserviço. Para essa entrega, elaboramos um manual para ajudar no consumo e manipulação de software SIG para o acesso ao geoserviço.


Resultados


Através do GeoServer está sendo possível consultar a evolução da produção dos dados e se obter informações das 4 principais coleções de produtos cartográficos de maior impacto da unidade.

Além disso o produto também permitiu visualizar de forma espacializada a distribuição de todas as centenas de coleções presentes no acervo do Rio de Janeiro, o que ajudou o cliente a entender as áreas onde sua cartografia convergiam e onde se tinha os grandes vazios cartográfico.


GeoServer

Conclusão


O GeoServer construído deu aos Servidores da URGeo-RJ o acesso aos dados de forma simples, ágil e organizada, tirando a forte dependência de intermediários para a realização das consultas.

Além de promover o engajamento ao uso de ferramentas livres para a execução do trabalho, o produto também foi concebido como um estímulo ao desenvolvimento do interesse por ferramentas que possibilitem análises, gestão e representação dos espaços e seus fenômenos por meio dos dados, o que vai ao encontro do que promove o Programa de Modernização de Gestão do Patrimônio Imobiliário da União do Órgão, do qual o Grupo Zago faz parte.



138 visualizações0 comentário